Blog Pioneira

Golpe do boleto, Pix, perfil no WhatsApp e links falsos: confira dicas para se proteger

17/09/2021
Golpe do boleto, Pix, perfil no WhatsApp e links falsos: confira dicas para se proteger  | Blog Sicredi Pioneira

São vários os truques, da alteração do código de barras do boleto à criação de páginas falsas na web

“Recebi o documento e paguei o valor indicado, mas percebi que era falso. E agora?” Essa história tem se tornado cada vez mais comum nos últimos meses. O golpe do boleto falso que manipula cobranças, fazendo com que o dinheiro vá direto para a conta do golpista é apenas um deles.

Para enganar as vítimas, são vários truques usados: da alteração do código de barras do boleto à criação de páginas falsas que levam ao download da fatura forjada.

Além das dicas abaixo, confira nossa Cartilha de Segurança Digital para se proteger de outras armadilhas online, clicando aqui.

Mas como não cair no golpe do boleto falso? Confira dicas:

De modo geral, sempre confira as informações presentes no boleto: erros de português, data de vencimento, nome do beneficiário e o CNPJ. Se estiver na dúvida, uma busca rápida na internet pode te ajudar a conferir se o CNPJ é real.

Nos boletos verdadeiros, os números do código de barras ficam na parte superior e na inferior do documento e elas devem ser exatamente iguais. Além disso, os três primeiros números da sequência correspondem ao código do banco que emitiu o boleto.

Saiba como se proteger de golpes online:

Golpes e fraudes online: você sabe como proteger seus dados pessoais?

O valor total sempre aparece em dois campos: no final do código de barras e também no espaço “valor do documento”. Se esses valores não baterem, você pode estar com um boleto falso. Outro sinal, em caso de cobranças fixas, é se o valor da cobrança está diferente do usual.

Lembre-se: os golpistas estão sempre atentos às movimentações que fazemos na web. Se você fez alguma compra online, emita o boleto diretamente no canal oficial e não clique em boletos enviados por e-mail, SMS ou WhatsApp, caso isso não tenha sido acordado.

Cuidados com o Pix

O Pix, como qualquer movimentação financeira, também exige nossa atenção se não quisermos cair em golpes. O cadastro da sua chave Pix deve ser realizado somente no ambiente seguro da sua instituição financeira, através do Internet Banking ou Mobile Banking. Os aplicativos móveis devem ser instalados a partir das lojas oficiais da Apple (Apple Store) e do Google (Play Store).

Não acesse links encaminhados por e-mail, postagens em mídias sociais ou SMS provenientes de pessoas e órgãos duvidosos. Cuidado com os e-mails ou mensagens de WhatsApp sobre convites de pré-cadastro ou cadastro do Pix. Na dúvida, não passe nenhuma informação.

Cuidado também com ligações de “supostos funcionários” da sua instituição financeira oferecendo o cadastramento do Pix ou mesmo oferecendo um serviço de atualização via conexão remota com o argumento de atualizar ou fazer um teste. Na dúvida, desligue e entre em contato com seu gerente.

Não faça transferências ou realize transações para supostamente fazer um teste na sua chave Pix – isso não existe!

Golpe do perfil falso no WhatsApp

Aqui, os criminosos se utilizam da imagem de perfil da vítima, geralmente retirada do seu próprio perfil de WhatsApp ou redes sociais. Com uma conta falsa, eles se passam pela pessoa e solicitam dinheiro para amigos, familiares e conhecidos.

Para se proteger, ajuste a visualização da imagem da conta do Whats apenas para contatos autorizados. Fique atento a mensagens de conhecidos ou familiares solicitando depósitos ou transferências bancárias (ainda mais se for em nome de terceiros). Sempre desconfie de contas com fotos de conhecidos, mas com números diferentes.
 
Golpe dos links falsos

Por meio de mensagens, os golpistas avisam que a vítima está apta ao recebimento de alguma promoção, sorteio, auxílio emergencial, ou, ainda informam a ocorrência uma operação indevida em sua conta. Aí, encaminham um link malicioso, afirmando que a vítima deve acessá-lo para receber o benefício ou para evitar que sua conta seja bloqueada.

Ao clicar no link, a pessoa é então redirecionada para sites falsos de cadastros ou

baixa automaticamente aplicativos maliciosos no telefone, todos com o objetivo de obter informações pessoais da vítima.

Para não cair nesse golpe, sempre desconfie de links encaminhados via WhatsApp ou SMS. Na dúvida, entre em contato direto com a empresa ou a pessoa que diz estar enviando o link.

Caso tenha se cadastrado em algum site ou clicado em um link suspeito, informe sua instituição financeira e leve seu telefone à assistência técnica para verificar a existência de aplicativos maliciosos.

Confira mais dicas:

Bandeira vermelha na conta de luz: entenda o porquê e saiba como diminuir gastos

Como fugir da inflação? 3 dicas para fazer o seu dinheiro render mais